O que funciona em Marília e Região

Foto do site www.citybrazil.com.br

 

CASA DO PEQUENO CIDADÃO

Esse projeto municipal começa a realizar seu atendimento no ano de 1997. Nessas casas, as crianças e adolescentes são atendidas em horários que não estejam na escola, desenvolvendo atividades como: reforço escolar, esporte (principalmente futebol), artesanato com sucata, pintura em tecido, bordado, coral, dança, fanfarra; e atividades profissionalizantes para os maiores de 14 anos, como marcenaria, mecânica de autos, instalações elétricas, etc. No início de 2003 começou a funcionar a sétima unidade da Casa do Pequeno Cidadão, e a Prefeitura contabilizou o total de 1.100 crianças e adolescentes atendidos.

Mais informações clique aqui

 

CENTRO INTEGRADO DE APOIO À CRIANÇA (CIAC)

Em 1992 foi criado o CIAC em Tupã. Trata-se de um projeto federal que disponibilizou serviço a população como ginásio de esporte, oficinas de teatro, artes cênicas e plásticas e outros.

Consulte mais informações aqui

 

CONSELHO DE DEFESA DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

Começou a funcionar em Marília no ano de 1992.

Mais informações consulte aqui

 

Projeto CORUJINHA

O 9° Batalhão de Polícia Militar do Interior (9° BPM/I) desenvolveu em sua sede a Escola de Futebol Corujinha, com o intuito da realização da prática do esporte a crianças e adolescentes, os policiais militares voluntários participam como instrutores. Esse projeto é divulgado como um programa de prevenção primária, sendo fornecido para a população de baixa renda. Um dos requisitos para a participação na escolinha é a freqüência escolar. Criado em 2001, no projeto constam 150 meninos (2005).

Mais informações consultar

JOVENS CONSTRUINDO A CIDADANIA (JCC)

Criado em 1999, nos Estados Unidos, e apresentado pela primeira vez na cidade de Bauru, com o Brasil sendo o primeiro país da América Latina a adotar esse projeto. Essa prática é uma iniciativa do Comando Geral da Polícia Militar do Estado de São Paulo e atualmente funciona em mais de 220 escolas de todo Brasil. Em Marília, o programa pioneiro é desenvolvido em uma escola estadual, na região Sul, pela 5ª Companhia de Polícia de Marília, por policiais voluntários que reúnem alunos e comunidade nos finais de semana no projeto educativo.

Mais informações consultar

JOVENS EM AÇÃO

O projeto atende adolescentes em Assis que se encontram em conflito com a lei, desenvolvido pela filantrópica espírita “Nosso Lar”.Em 2004 foram abertas dez vagas no projeto CIRCUS para os participantes do Jovens em Ação.

RENASCER

Instituído em 1998, o projeto Renascer está sendo desenvolvido no município com adolescentes ligados à Fundação CASA. Trata-se de um projeto com coordenação de um assistente social, estagiária de psicologia e administrativo, que acompanha e desenvolve ações sócio-educativas para os adolescentes. Uma dessas ações é a parceria com o SENAC de Marília, que disponibiliza palestras para esse público.

Mais informações consultar

PROJETO GURI

O trabalho do Projeto Guri com adolescentes se mostra como atuante na prevenção da agressividade e da violência, com início em 1996 e parceria com a antiga Febem. Atualmente, são atendidos cerca de 1.900 adolescentes em 47 unidades da Fundação Casa. A associação Amigos do Projeto Guri promove a Mostra Regional com o intercâmbio cultural e a troca de experiências entre os envolvidos, por meio do ensino da música, principal característica do Projeto Guri. A Associação Amigos do Projeto Guri é uma Organização Social de Cultura, sem fins lucrativos, que se apresenta com o objetivo específico da inclusão sociocultural de crianças e adolescentes, entre 8 e 18 anos, por meio do ensino da música.

PROJETO VIOLÊNCIA E ARTE-EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA

O projeto do Núcleo de Ensino da UNESP, campus de Marília, que consistiu numa experiência com a população infanto-juvenil, a proposta era intercambiar as experiências entre jovens com realidades diferentes e, assim, instigar a integração social e cidadania, para que percebam seus direitos e deveres de cidadãos e se envolvam com a dinâmica da coletividade, com intuito de reduzir as perspectivas de violência e abandono.

Acesse e baixe o projeto aqui

 

NÚCLEO DE DIREITOS HUMANOS E CIDADANIA DE MARÍLIA (NUDHUC)

É uma entidade sediada na UNESP local e que congrega representantes de aproximadamente vinte entidades civis, religiosas e universitárias. Atua na formação e na ampliação da consciência de cidadania em diverso setores da comunidade, especificamente na área da infância e adolescência. Realiza inúmeras reuniões com o objetivo de favorecer o intercâmbio de idéias e gerar propostas articuladas entre representantes do Judiciário, de vereadores, de pessoas ligadas a Fundação CASA, às Secretarias de Estado e municipal do Bem-Estar Social e da família, aos Conselhos Tutelares e de Direitos e a entidades defensoras da infância e adolescência em situação de risco.

Mais informações

 

CASA ABRIGO

Desenvolvida em 2002 com a parceria da Prefeitura de Marília. Foi a primeira entidade da cidade e região a abrigar mulheres vítimas da violência doméstica e seus filhos.

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA MULHER DE MARÍLIA (CMDM)

Foi criado em 12 de setembro de 1996. Os objetivos apresentados do conselho são: deliberar, normatizar, fiscalizar e executar políticas públicas; subsidiar a administração nas questões relativas aos direitos da mulher e a sua constituição é paritária, sendo representado pelo setor público e privado.

Endereço eletrônico

DELEGACIA DE DEFESA DA MULHER

A Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Marília foi instalada no ano de 1987. Segundo a Rede Mulher de Marília, criada em 2005, a partir de 1996 com o desenvolvimento das atividades, a DDM passou a ter uma visão multifocal da violência doméstica e sentindo a necessidade de intervenção multidisciplinar, iniciando assim, as primeiras parcerias para combater esse tipo de violência.

 

ANTI-DROGAS

O site Anti-drogas foi criado por uma produção independente, início em 2000, com a proposta de conscientização sobre os males causados pelas drogas que afetam o organismo e prejudicam a saúde. Em 2001, o site realizou uma parceria com a Polícia Federal de Marília, adotando a cartilha do Brasileirinho, e com o Submarino, inserindo no site livros relacionados a drogas e vídeos com depoimentos.

Endereço eletrônico

CONSELHO ESTADUAL DE ENTORPECENTES (COMEN)

Vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania, foi instituído no Estado de São Paulo em 1986, frente à necessidade de o Estado ter uma ação conjunta e articulada com órgãos federais, estaduais e municipais, sob orientação do Conselho Federal de Entorpecentes (CONFEN). O conselho foi instituído em 1988 na cidade de Marília. Os municípios da região de Marília que possuem COMEN são Assis e Ourinhos.

Endereço eletrônico

PAUTA ANTIDROGAS

A partir de 1999, a equipe Pauta Antidrogas iniciou um projeto de prevenção ao uso de drogas. De início o projeto partiu da apresentação de palestras sobre o assunto para um programa de entrevistas com especialistas na televisão, exibido em Marília via TV a cabo local, denominado “Pauta Antidrogas – Onde está o seu filho agora?” e a realização de um website com informativo virtual sobre a prevenção e recuperação de dependentes químicos.

Endereço eletrônico

PROGRAMA EDUCACIONAL DE RESISTÊNCIA ÀS DROGAS E À VIOLÊNCIA (PROERD)

O PROERD tem por base, o projeto D. A. R. E. ( Drug Abuse Resistance Education ) criado em 1983 nos Estados Unidos, desde 2002 é desenvolvido em todos os Estados do Brasil. O programa chegou ao Brasil em 1992, através da PM do Rio de Janeiro, e no Estado de São Paulo em 1993, através da Academia de Polícia Militar do Barro Branco de onde o programa expandiu-se para os demais Estados. Os Policiais Militares orientam as crianças sobre as informações a respeito das drogas e dos tipos de abordagens que estão sujeitas.

Endereço eletrônico

 

ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO E ASSISTÊNCIA À CIDADANIA DE MARÍLIA (Apac)

Juntamente com a direção técnica do Centro de Ressocialização (CR) de Marília, inaugurada em 2001, e Apac, participam do projeto 26 empresas conveniadas com a associação e nos mais variados ramos, da agricultura à indústria, comércio e serviços. A maioria dos presidiários recebe salário mínimo e em empresas que se especializaram na contratação deste tipo de mão-de-obra. As empresas funcionam dentro e ao lado do CR. O programa “Oficina do Futuro” visa o desenvolvimento cultural e profissional através de cursos em parceria como SEBRAE, a Secretaria do Bem Estar de Garça, SENAI (Serviço Nacional da Indústria) e APAC. Em alguns casos, os cursos profissionalizantes são estendidos também para a família do reeducando.

PROJETO CIDADANIA NO CÁRCERE

Foi desenvolvido e implantado pela Secretaria da Administração Penitenciária, com o objetivo de administrar unidades prisionais em parceria com organizações não governamentais. Atualmente o projeto abrange vinte centros de ressocialização e duas penitenciárias. Em Marília o projeto mantém parceria com a Associação de Proteção e Assistência à Cidadania de Marília (APAC).

COMITÊ GESTOR DE SEGURANÇA E QUALIDADE DE VIDA

Criado em junho de 2005 o Comitê é uma política pública com o apoio da Prefeitura Municipal que estuda cientificamente a violência e realiza ações sociais de prevenção dialogando com a comunidade e chamando-a para a sua responsabilidade no contexto da prevenção. O Comitê trabalha no desenvolvimento de mecanismos interdisciplinares e interinstitucionais de prevenção à violência e melhoria da qualidade de vida (ações conjuntas entre os órgãos públicos, a sociedade civil organizada e a comunidade).

Endereço eletrônico

CONSELHOS DE SEGURANÇA DE BAIRRO (CONSEB’s)

Foram implantados os CONSEB’ em Marília, que são células menores com os mesmos objetivos dos CONSEG’s. Na cidade de Marília existem quatro CONSEB’s.

CONSELHOS COMUNITÁRIOS DE SEGURANÇA (CONSEG’s)

Implantado em 2001, os CONSEGs de Marília são divididos em zonas norte, leste, oeste e centro. A proposta do CONSEG é reunir a comunidade para discutir e analisar problemas locais. As reuniões ocorrem em espaços públicos com a localização de acordo com a área de cada conselho. Os CONSEGs, criados em 1985, representam uma das mais antigas e duradouras políticas públicas do Estado de São Paulo. São constitúios por pessoas do mesmo bairro ou município que se reúnem para discutir e analisar, planejar e acompanhar as possíveis soluções de seus problemas comunitários de segurança, desenvolver campanhas educativas e estreitar laços de entendimento e cooperação entre as várias lideranças locais.

Mais informações consultar

GRUPO DE PESQUISA E GESTÃO URBANA DE TRABALHO ORGANIZADO (GUTO)

A organização de encontros dessa política pública se desenvolve no ano de 2001, esse projeto é sediado na UNESP local, Marília. Com o objetivo de realizar uma geografia do crime em Marília, realiza estudos e ações de policiamento comunitário, vitimização, criminalidade, comunidade e outros. O grupo é composto por 20 pesquisadores/agentes que envolve sociólogos, geógrafos, assistentes sociais e outros; com a parceria de órgãos de segurança local (polícias civil, militar, corpo de bombeiro), Prefeitura Municipal (EMDURB – Empresa Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitacional, Secretarias Municipais – Educação, Saúde, Planejamento Urbano, Meio-ambiente e Bem-estar Social) e Sociedade Civil organizada (associações de bairros).

Endereço eletrônico

 

NÚCLEO DE APOIO ÀS VÍTIMAS DE ABUSO SEXUAL (NAVAS)

Implantado em 1997 no Núcleo de Gestão Assistencial (NGA). A equipe do núcleo é composta por assistentes sociais, enfermeiras, ginecologista, infectologista, pediatra, psicólogas e outros especialistas para atender as vítimas. A coordenadora do projeto, Valéria da Silva Santos, divulga que o NGA é um local de grande rotatividade de pessoas, fazendo com que a vítima não fique exposta, atendendo a crianças, mulheres, homens e adolescentes.

 

SENTINELA

A Secretaria do Bem-Estar implantou na cidade o projeto Sentinela no ano de 2001, que visa atender os adolescentes vítimas de violência sexual com idade até 18 anos incompletos e seus familiares. O atendimento é prestado por assistente social e psicóloga.